A fórmula do sucesso!

Hoje mais do que nunca, as novas gerações se importam cada vez mais com a qualidade de vida e com o autodesenvolvimento. É por isso que existe uma onda ou tendência onde as grandes e/ou pequenas empresas estão começando a olhar mais profundamente nos Soft Skills do que no Hard Skills.

Estamos começando a entender que o conhecimento se consegue com ritmos mais acelerados e com uma curva de aprendizagem menor do que o desenvolvimento do caráter e à atitude.

A fórmula CHA, conhecidos por alguns nas áreas de Psicologia e Coaching, representam de forma ideal e clara essa reflexão.

Analisemos a fórmula no detalhe:

SUCESSO = (C + H) A

  • Conhecimento: é o saber adquirido, ou seja, para o indivíduo é a compreensão de conceitos e técnicas que são necessários para atingir seus objetivos e que são adquiridos através de diferentes recursos, desde a simples observação, leituras, um treinamento realizado e sua própria formação acadêmica.
  • Habilidade: é o saber fazer ou poder fazer, ou seja, para o indivíduo representa a sua aptidão em atividade prática para o desempenho de sua missão e está associada à capacidade de produzir a partir do conhecimento adquirido, a experiência prática e o aprimoramento progressivo das aptidões desenvolvidas com o tempo e a experiência.
  • Atitude: é o ser ou querer fazer, ou seja, para o indivíduo é a decisão consciente e emocional de seu modo de agir e reagir no dia-a-dia em relação a fatos e outras pessoas de seu ambiente.

Claramente podemos perceber que o Conhecimento e Habilidade que representam o Saber e Saber Fazer, somam e contribuem com o sucesso, e com o passar do tempo juntas e aplicadas continuamente, viram experiência. Porém, a Atitude que representa o Querer Fazer, é a única que multiplica, seja para acima ou para abaixo.

Imaginem o cenário onde temos um Desenvolvedor Sênior muito experiente num time de TI, especialista técnico com amplos conhecimentos e grande habilidade técnica, porém com um caráter violento e pouco colaborativo, criticando a toda hora às ideias de outros no mesmo time e sempre dificultando qualquer mudança que seja apresentada como possível solução a algum problema sistêmico. Esta pessoa, sem importar todo seu conhecimento e habilidades, vira sem dúvida nenhuma detrator do time, puxando para abaixo o engajamento, comprometendo a comunicação eficaz e a vinda de mudanças de melhoria contínua.

Muitas vezes acreditamos que o mais fácil é oferecer aos nossos empregados treinamentos e capacitação, sem pensar que além disso deveríamos investir em manter em alta à atitude de todos e cada um dos indivíduos que fazem parte de um grupo de pessoas com o mesmo propósito para tornar este um verdadeiro TIME.

Aplicar técnicas de Coaching para Times de Alta Performance e o Profissional Coaching para os indivíduos que precisam um adicional para torná-lo mais produtivos tem se demonstrado muito bem-sucedidas ao longo da minha carreira.

Lembremos que quanto mais nos conhecemos como pessoas, criamos empatia, compreendendo que cada indivíduo possui um determinado perfil comportamental com valores, características bem definidas e competências diferentes às nossas. Podemos então, começar a criar o engajamento e motivação necessária para obter o entrosamento esperado para atingir os resultados esperados e, por que não, ir além!

Como sugestão final, trabalhe fortemente em manter o Team Building afiado. O foco sempre deverá ser as pessoas envolvidas e não os resultados, sendo que estes irão ser simplesmente uma consequência.

“Contrate caráter e desenvolva conhecimento e habilidade” Peter Schutz, presidente e CEO da Porsche entre 1981 e 1987.

Até uma próxima! Fico a disposição para trocar ideias e experiências!

Erasto Meneses

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *